Projetos

Durante nossa história, vale a pena ressaltar alguns trabalhos realizados no decorrer desses anos:

(Clique em + para ampliar)

Levantamento e salvamento arqueológicos na área de implantação da linha de transmissão Sapeaçu – Camaçari, Recôncavo Baiano/BA


Nesta pesquisa foram identificados dois sítios históricos, um proveniente de uma estação férrea, e outro de uma residência rural do Recôncavo utilizada como casa de farinha. Como a casa de farinha estava situada no eixo da LT, sua realocação foi executada, mantendo-se a técnica do “saber e fazer” da produção de farinha de mandioca e de construções com tijolos de adobe, esta última já em desuso no Recôncavo. A realocação possibilitou a manutenção da técnica de construir com tijolos de adobe na comunidade afetada, bem como a continuidade da produção de farinha de mandioca por meios artesanais.




Escavações arqueológicas no Palácio Museu Cruz e Sousa – Florianópolis/SC


Estas escavações foram realizadas nas dependências externas do Palácio, elucidando dois séculos de história em seu subsolo, onde foram recuperados 68 mil fragmentos de materiais arqueológicos entre faiança fina, porcelana, louça de barro, metais, vidros, restos de alimentos e inúmeros outros fragmentos, representantes da cultura material da sociedade que ocupou aquele espaço político de 1755 a 1959.




Levantamento e salvamento arqueológicos na área de implantação da linha de transmissão Mascarenhas – Verona/ES


A pesquisa arqueológica realizada neste empreendimento, identificou cinco novos sítios arqueológicos. Dois sítios históricos e três sítios pré-históricos de tipologia cerâmica. Os sítios históricos foram representados por dois engenhos, um de açúcar, de natureza doméstica e outro de farinha de mandioca, denominado na região de “Quitungo”. As datações dos sítios cerâmicos atestaram a passagem de grupos ceramistas na região centro oeste do Espírito Santo entre os séculos XVII e XIX de nossa era.




Levantamento arqueológico na área de aproveitamento hidroenergético do Vale do Rio do Peixe entre os municípios de Piratuba e Lacerdópolis/SC


O levantamento arqueológico foi aplicado em 45 km de extensão no curso do rio do Peixe, meio oeste catarinense, onde foram identificados vinte sítios arqueológicos pré-históricos que farão parte de um futuro projeto de salvamento arqueológico. O número de sítios, três cerâmicos e dezessete líticos, compõem um panorama arqueológico, em que grupos humanos pretéritos aproveitaram os recursos ambientais abundantes no vale do rio para a ocupação da região.




Salvamento arqueológico na Capela das Dores da Catedral Metropolitana de Florianópolis/SC


O salvamento arqueológico foi realizado na capela contígua à Catedral de Florianópolis. Sob seu assoalho foram evidenciadas estruturas funerárias construídas pela Ordem Terceira de São Francisco de Assis e utilizadas até 1855 pela elite da sociedade desterrense, considerando os funerais ricamente decorados e a utilização, na maioria dos sepultamentos, de caixões, uma prática incomum à época. Ao todo, foram evidenciados e analisados vinte e um sepultamentos humanos.




Levantamento e monitoramento arqueológicos na área de pavimentação da rodovia SC 439 – trecho Urubici – Grão Pará/SC.


As pesquisas arqueológicas na área de influência da rodovia afirmaram uma rica diversidade cultural para os municípios de Grão Pará e Urubici. Ao todo, foram localizados vinte e sete sítios, entre históricos e pré-históricos. Estes são representados por sítios líticos, cerâmicos, casas subterrâneas, galerias subterrâneas e terreiros de aldeia. De natureza histórica foram identificados engenhos de açúcar e de farinha de mandioca, atafona, serraria e cemitério de colonizadores.




Levantamento arqueológico prospectivo na área de influência da Via Expressa de Criciúma/SC


A área projetada para receber a Via Expressa de Criciúma encerra em seu subsolo quatro sítios arqueológicos pré-históricos, com a ocorrência de um sítio cerâmico e três sítios líticos, atestando a ocupação da área situada entre a BR 101 e a cidade de Criciúma por grupos de caçadores, coletores e horticultores.